Notícias

Quase metade dos contribuintes ainda não declarou o IR em Goiás

Cerca de 400 mil contribuintes não fizeram a declaração do Imposto de Renda em Goiás até esta quarta-feira (22). O número representa 47% do total de 850 mil documentos que devem ser entregues até o dia 30 de abril, segundo a Receita Federal. Quem não cumprir o prazo, será multado. Um bate-papo do Jornal Anhanguera 1ª Edição, transmitido pelo G1 Goiás, esclareceu dúvidas sobre como fazer a declaração (assista ao vídeo acima).

Durante a transmissão, o supervisor da Receita Federal em Goiânia, Jorge Martins, explicou que a demora dos contribuintes é comum.“Este ano estamos indo bem, conseguimos chegar à metade um dia antes do que o ano passado”, disse.

Ainda segundo o supervisor, no ano passado, cerca de 20 mil pessoas não entregaram o documento no prazo correto. “Esse númor sempre se repete, então a expectativa é que aproximadamente de 15 a 20 mil contribuintes não enviem a declaração dentro do prazo”, disse.

A multa pelo não cumprimento do prazo é de 1% ao mês em relação ao valor do imposto devido. Os programas para fazer a declaração estão disponíveis para download na página da Receita na internet.

Para tirar ajudar quem ainda não fez a declaração, Martins respondeu a perguntas enviadas ao Jornal Anhanguera sobre o que se pode ou não declarar.

“O Imposto de Renda é complexo e as pessoas conhecem apenas superficialmente. As maiores dúvidas são em relação à declaração de bens e também sobre a dedutibilidade de dependentes”, explicou.

Veja algumas das dúvidas enviadas pelos internautas

- É possível não fazer a declaração do Imposto de Renda devido à baixa renda, mesmo tendo declarado em anos anteriores?
Pode sim. Cada ano é analisado individualmente, independente de ter declarado no ano anterior. Se ela não se enquadra em nenhuma das situações que a obrigam a declarar, ela não precisa fazer este ano. As condições que a obrigariam são rendimentos tributaveis superiores a R$ 26.816, os rendimentomentos isentos acima de R$ 40 mil e se o patrimônio no ano passado era acima R$ 300 mil.

- Como acessar em outro computador os dados já salvos da declaração do imposto de renda?
Essa é uma novidade para a declaração desse ano. Quando ele sai do programa onde ele está fazendo o processo, ele cria uma senha e depois, no outro computador que tenha o programa da Receita Federal instalado, ele selecionar a opção “Restaurar Online”, no menu a esquerda. Ela digita a senha e vai recuparar os dados no ponto que ela parou no computador anterior.

- Contribuintes que fizeram o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) precisam declarar o auxílio?
O Fies é um financiamento, mas quem paga a faculdade é ele. No momento em que ele está estudando, ele tem a despesa com a instrução, independente se tem ou não o Fies. Sendo assim, ele precisa declarar essa despesa. Posteriormente, quando ele vai pagar o fundo, não é mais uma despesa dedutível, porque é apenas no período que ele está estudando.

- É preciso fazer declaração do IR para bens recebidos após partilha do divórcio?
É preciso avaliar se os valores dos bens recebidos ultrapassam o valor de R$ 300 mil. Se ultrapassam, é necessário declarar.

- É possível recuperar o número da declaração do IR do ano anterior?
Se a pessoa fizer questão de informar o número da declaração do ano passado, ele pode procurar qualquer unidade da Receita Federal. Porém, embora seja importante informar esse número, essa informação não é imprescindível para fazer a declaração este ano. Só se ele tiver alguma retificação a fazer.

- É possível abater o valor gasto com aluguel no imposto de renda?
Não. Aluguel não é uma despesa dedutível. Entretanto, quem recebe o aluguel precisa declarar por ser um rendimento tributável recebido de terceiros.

- Porque uma pessoa que tem emprego em dois lugares tem o imposto retido nas duas folhas de pagamento, não tem direito a restituição e paga ainda mais imposto?
As pessoas equivocadamente acreditam que por terem mais de uma fonte de renda, paga mais imposto. O imposto devido, se ela tiver nas condições de uma outra pessoa que tem apenas uma fonte de renda e recebe o mesmo valor total que ela, o imposto devido é o mesmo na declaração.

A diferença é que quem tem uma fonte de renda, o valor retido no ano anterior é muito maior devido à progressividade das alíquotas. Se ela tem duas fontes de renda, cada uma é calculada separadamente e com isso o imposto retido é muito menor do que no caso de receber uma fonte só. Por isso, quando faz a declaração, se o imposto devido é maior do que o que foi retido, ela tem que complementar.

- Qual valor pode ser abatido referente aos gastos com empregados domésticos?
Contribuição da parte patronal com o imposto é de 12% do salário, incluindo o 13º salário. Isso dá um valor aproximado de R$ 1.156 ao ano. Até esse valor que ele contribuiu, ele vai receber integralmente. É a chamada dedução do imposto.

- É necessário declarar bens recebidos de herança?
Eu aconselho que declare, mesmo a pessoa não seja obrigada. Isso é uma maneira dela declarar o recebimento do bem do espólio.

- É possível incluir um dependente na declaração sendo que ele tem rendimentos que o obrigariam a fazer o documento?
Eu costumo dizer que cada pessoa carrega uma sacolinha com bens, rendimentos e despesas. Se eu declaro imposto sozinho, tenho que informar os meus rendimentos, bens e despesas. Se eu for informar algum dependente na minha declaração, obrigatoriamente vai ter que trazer as informações dele referentes a bens, despesas e rendimentos. Então se eu incluo uma pessoa que tem rendimentos maiores que as despesas dedutíveis, é melhor eu deixar ela de fora da minha declaração, porque ela vai onerar o meu imposto.



Copyright © 2012 Eurosec.

Todos direitos reservados.

Escudo Eurosec